LUTA CONTRA A REFORMA ADMINISTRATIVA SERÁ DESTAQUE NO 1º DE MAIO DO SINTSEF-BA E CENTRAIS

27/04/2021 – As principais centrais sindicais do país estarão mais uma vez unindo esforços para construir um ato conjunto em defesa da classe trabalhadora no 1º de maio. A data não pode deixar de ser destacada por sua importância referencial na luta dos trabalhadores de todo o mundo. Este ano, além do desafio da pandemia, cujos impactos econômicos e sanitários estão longe de acabar, o povo brasileiro tem a missão de cancelar a PEC32/2020, a proposta de reforma Administrativa defendida pelo governo Bolsonaro. A PEC não tem outro propósito que não o de destruir o serviço público como conhecemos hoje.

Em Salvador, o SINTSEF-BA confirmou presença em dois atos convocados por Centrais Sindicais como a CUT, CTB, Força Sindical, UGT, CSP-Conlutas e Nova Central, além do Fórum Baiano em Defesa do Serviço Público. Às 8h de sábado, haverá manifestações na região do Shopping da Bahia (Iguatemi). Às 10h, os trabalhadores se deslocarão para a região do Farol da Barra, onde realizarão outro ato público, com arrecadação de alimentos para famílias carentes.

O SINTSEF-BA levará suas bandeiras, ressaltando a necessidade de impedir o avanço da PEC32/20 no Congresso. Num momento como esse, de extrema periculosidade, quando a população depende cada vez mais do serviço público, o governo quer destruir o que ainda resta para fazer a vontade insaciável dos banqueiros e investidores do sistema financeiro.

Os argumentos em prol da nova Reforma são os mesmos enganadores usados para “vender” as reformas Trabalhista e da Previdência, por exemplo: combater supostos privilégios, modernização e economia de gastos. Já vimos esse filme e sabemos como termina. Os privilégios continuam para os mesmos, ocupantes de “cargos de confiança” e quase sempre indicados por políticos. A prometida modernização tampouco chegou: sem investimentos públicos para aquisição de novos equipamentos ou realização de concursos para contratação de novos servidores, com recursos cada vez mais minguados, como acreditar que isso vá ocorrer? Por fim, mas não menos importante, o funcionalismo não é responsável pelo rombo nas contas públicas. Ao invés de retirar direitos de quem cada vez menos os têm, o governo deveria se ocupar de investir em mecanismos de fiscalização e controle do dinheiro público.

Ainda no sábado, 1º de maio, haverá um ponto de coleta na Universidade Federal da Bahia para que a população possa contribuir com alimentos não perecíveis. As doações serão destinadas às intuições cadastradas pelas centrais. Essa ação é um ato de solidariedade com as famílias de trabalhadores no estado e no país que voltaram para situação de não ter o que comer dentro de suas casas devido a política genocida de Bolsonaro.

Venha conosco. Não se deixe enganar: apoie e participe dos protestos. Marcado por históricas manifestações e defesa dos direitos da classe trabalhadora, o 1º de maio segue vivo e por isso erguerá suas diversas bandeiras de luta: contra a Reforma Administrativa, vacina para todos contra a Covid-19, fortalecimento do Sistema Único de Saúde, auxílio emergencial de R$ 600, pelo direito à vida, defesa da democracia e #ForaBolsonaro.

 


Fortaleça nossa luta contra o fim dos serviços públicos brasileiros. Clique no link abaixo para votar DISCORDO TOTALMENTE na enquete da Câmara sobre a Reforma:

https://forms.camara.leg.br/ex/enquetes/2262083