Incêndio no HUPES expõe insegurança das unidades geridas pela EBSERH

A ação fundamental da primeira turma de brigadistas formados pelo Hospital foi fundamental para o combate ao incêndio. Sua própria criação é resultante das reivindicações dos trabalhadores por mais segurança no ambiente de trabalho. A pauta tampouco é exclusiva do HUPES: na Maternidade Climério de Oliveira, as obras de reforma nas instalações já se arrastam desde 2017, provocando diversos transtornos aos usuários e empregados. Como se vê, ainda há muito a ser feito.

Por serem instituições muito antigas, as unidades da UFBA geridas pela EBSERH carecem de uma infraestrutura adequada para situações de emergência. O HUPES, por exemplo, possui apenas extintores portáteis de incêndio. O sistema de hidrantes está inoperante, o que impede o combate a incêndio de maior proporção. Faltam rampas de acesso entre os andares para uma evacuação eficiente.

O Hospital das Clínicas já foi autuado pelo Corpo de Bombeiros e Ministério Público pelas irregularidades encontradas. Um projeto de combate a incêndios já está em fase de contratação, mas até chegar nessa fase foram quase três anos de espera. Ainda assim, depois de concluso, o sistema ainda precisará passar pela fase de execução, enfrentando todos os trâmites legais necessários até a contratação de uma empresa especializada.

Enquanto isso, no último dia 17 de maio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que promoverá uma redução de 90% (isso mesmo: 90% !) na obrigatoriedade de Normas Regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho. Segundo o texto divulgado em suas redes sociais, a normatização é absolutamente “bizantina, anacrônica e hostil” e gera “custos absurdos” para as empresas. nesse segmento.

A ausência de equipamentos de proteção, carência de medidas coletivas ou o desrespeito às normas de segurança do trabalho costumam ser as principais causas de acidentes no ambiente de trabalho. O SINTSEF-BA está atento a essas questões e buscará uma reunião com os gestores da EBSERH para exigir providências. Somos contra toda forma de flexibilização de direitos e sempre estaremos na linha de frente da luta para defender mais políticas públicas e leis que protejam a classe trabalhadora e tragam segurança e melhorias nas condições de trabalho.

(foto:UFBA)

Núcleo de Comunicação e Imprensa. #Sintsef

Marcações: